viernes, 11 de marzo de 2016

INDIA: Brutalidades contra las mujeres adivasis sospechosas de ser naxalitas. ¡Importante denuncia!



Naxalite Test – Adivasi women as the Subject of Experiment and Breast Milk as the Evidence
   

On 12th January 2016, in Pedras village of Sukma district, Battalion who were doing patrolling asked the women to go for ‘Naxalite Test’. It is by implicit rule of the government that if an Adivasi woman is unmarried then she is a naxalite, because naxalites don’t marry. In ‘Naxalite Test’ in order to prove that, the Adivasi woman is not a naxalite, she is forced to take out milk from their breast. Sometimes the military would do the test by tearing the Adivasi woman’s clothes and by pressing their breasts or sometimes the women do it by themselves to save their lives. The test is applicable to all women irrespective of their age and even the breast feeding mothers are not untouched. If milk is not coming from their breast, she is a naxal. The ‘scientific’ explanation given by the authority for this test is all those who are married should have milk in their breast and those who do not produce milk are unmarried and they are Naxals. During the patrolling, it is very common that adivasi women portray themselves as married by hiring ‘Mangalasutra because their prime concern is to save their life. In this incident, half a dozen of women were caught, sexually abused, beaten up, raped and the military in Pedras village broke one women’s hand. This is not an isolated incident of this kind. Before also, in Sukma and Dantewada districts of Chhattisgarh, two incidents of Naxal test had recorded but it did not grabbed media attention nor became a discussion in any of the forums. Irony, is that, Justice is far to reach!!

 For an adivasi woman who is gun pointed, sexually abused, rape would not be that painful than struggling to keep herself alive. Here the question is not about respect, dignity and morality but the basic constitutional right to live. What we are seeing outside is just a portion of the iceberg and the unhidden situation beneath is awful.

 When injustice happens with the mainstream, protests, debates, media attention, discussions take place on the national level and indeed, it should be. In contrary, why do mainstream act passively when it comes to the Adivasi issues? There are thousands of Nirbhayas in the tribal villages in this country. On the other hand, these Adivasi Nirbhayas are helpless even to find space to share their agony and trauma.

 This is important to notice that this incident have happened on National Youth Day, which is celebrated in India on 12 January on the birthday of Swami Vivekananda. In the mainstream, National Youth Day signifies empowerment of youth whereas in Bastar region of Chhattisgarh instead of youth empowerment, this inhuman act happened with a group of young women. Either the boundaries of the country have to be re-demarcated or equal justice has to be executed.
 
 
-------------

2 comentarios:

  1. AnonimoTrotskista12 de marzo de 2016, 2:02

    Obrigado pelo vosso excelente trabalho a informar sobre este tema!

    A imprensa burguesa vende a Índia como um país de psicopatas, que violam porque têm uma cultura inferior.
    O vosso blog aponta de fato que isto tem uma motivação política.

    Os grupos fascistas hindus (não confundir com quem professa a religião de Shiva), forma criados copiando os métodos dos grupos fascistas europeus. Daí terão copiado os métodos bárbaros, entre os quais o uso da violação como arma contra as mulheres e as comunidades.
    Lembremos que tal tática foi usada contra os negros, russos, todos os povos que interessou um dia exterminar.
    Esse fascismo hindu quer tornar a Índia um estado unicamente hindu, vendem a máscara da "cultura autóctone hindu", mas na verdade a Índia pautou-se sempre por uma grande diversidade étnica, cultural, religiosa.
    Os adivasis são o povo mais antigo da Índia, provavelmente ainda mais antigos que os dravids, o povo massacrado pelos arianos invasores, que destruíram a civilização dravídica de Mohenjo-Daro!
    Estes animais das castas altas, são NAZIS, que querem destruir toda a diversidade da Índia, assim como um dia os seus antepassados arruinaram Harapa e Mohenjo-Daro, agora querem destruir o que resta da Índia não-ariana.
    Mas atenção, focar uma coisa. Isto não é para se generalizar ao povo hindu, nomeadamente a maioria são castas baixas oprimidas, o Hindutva serve os interesses de uma elite. Os brâmanes são em si uma elite que se apoderou do poder destruindo os dravids e os adivasis(que eram nómadas)e escravizando a maioria. Impuseram um sistema de castas, que é uma opressão sob a máscara da religião. E agora, com o desmoronar do sistema de castas, sentem os seus privilégios em perigo, por isso forma criar um grupo NAZI, que visa sob a máscara de "recuperar a cultura indiana tradicional" manter uma ordem feudal, racista e opressora.
    Os muçulmanos e cristãos foram os primeiros a ser atacados, porque usaram a máscara da invasão turco-mongol islâmica e invasão europeia, como justificação de que estas religiões eram opressores estrangeiros. Mas têm certa dificuldade em inventar algo para atacar os jainistas, sikhs, budistas(religiões nativas) e adivasis(os mais antigos habitantes da Índia).
    Como se vê, eles usam a religião como máscara, o que eles querem é sob a máscara de serem a elite (os brâmanes) dominarem. Defenderem as castas é defenderem o seu estatuto privilegiado, nada mais. Os brâmanes aquando da invasão turco-mongol e depois europeia, converteram-se ao Islão ou Cristianismo, porque na altura era o poder dominante e pensavam estar do lado vencedor. Por isso nunca houve conversões massivas ao Islão ou Cristianismo, a não ser as elites e casos esparsos do povo. Essas elites traíram o povo indiano e agora, vendo-se ameaçadas, tentam recuperar o sistema de castas para se manterem no privilégio, daí os ataques ás duas fés monoteístas. O que eles tee é que a desaparição do hinduísmo, ou pelo ateísmo ou pela conversão a outras fés, leva ao colapso do seu sistema de privilégio, nada mais. Basta notar que no caso das elites convertidas a Maomé ou Cristo, o sistema de castas se manteve(em total contrário ao que essas fés defendem), pois as elites mudaram apenas de folclore religioso, para se aliar ao poder do momento. O renascimento hindu é uma farsa fascista, proteger uma cultura no que tem de bom é uma coisa, manter aberrações como as castas é algo intolerável.

    Continua

    ResponderEliminar
  2. AnonimoTrotskista12 de marzo de 2016, 2:03

    Digo isto porque se nota um erro em certas áreas da Índia. As castas baixas lutam, mas focam tudo num ódio aos brâmanes ou ao hinduísmo em si, sem ter uma visão marxista. Tem havido uma conversão em massa dos adivasis ao cristianismo, assim como nos dalits, esperando fugir ás castas, daí a desculpa dos nazis do Hindutva para atacar este povo. Esses nazis querem fazer dos arianos que invadiram a Índia á 3000 anos, os únicos habitantes da Índia, e a religião é desculpa. Esta violência começou com o ataque á mesquita em Utar Pradesh, nos anos 90, afirmando ser aí que tinha nascido o deus Rama! Os muçulmanos foram os primeiros a ser atacados, depois foram os cristãos e não tarda inventarão uma desculpa para atacar os budistas, jainistas, sikhs e todos os outros.
    Vejo alguns a irem pelo caminho errado de culpar o povo hindu do Norte da Índia, quando isto é tudo uma jogada das elites e da CIA. Se não entendermos a luta de classes inerente, iremos nos afundar. Além dos naxalitas, tem havido alguma luta social, mas tem de surgir um forte PC na Índia, com um programa clara, que promove o respeito inter-étnico, religioso, que o povo perceba as mentiras que se usa para enganar as pessoas. Há algo mais triste que ver, aquando do pogrom anti-muçulmano de Utar Pradesh, em que se destrui a mesquita local, ver gente das castas baixas, lobotomizados e alienados, a serem incitados a atacar os seus irmãos muçulmanos, tudo pelo interesse das elites? Em vez de atacar as castas altas, a gente pobre, alienada numa “guerra santa contra o Islão”, atacou gente pobre na mesquita, acaso isto mostra claramente o que são estes “nacionalistas hindús”?
    Parece-me, vendo os vossos posts, que a situação se tende a agravar, o nacionalismo hindu, foi ignorado pelos mass merdia, mas parece-me estar a crescer como um tumor, as elites usam-no para atacar as castas baixas, minorias, e só vejo uma solução: um forte PC, com um programa claro, que se dirija a todos na Índia!!!

    ResponderEliminar