jueves, 12 de mayo de 2016

Boston, París y Bruselas: Un joven de EE.UU. sobrevive al tercer ataque terrorista de su vida


Mason Wells - Actor de crisis



"Un joven de EE.UU. resultó herido en el atentado contra el aeropuerto de Bruselas, el tercer ataque terrorista al que sobrevive, después de los de París y Boston."

Este martes Mason Wells, de 19 años, resultó herido en el atentado en aeropuerto de Bruselas, de donde se disponía a viajar a EE.UU., informa ABC News.

Fuente: https://actualidad.rt.com/actualidad/202784-joven-eeuu-sobrevive-tres-atentados


PERO LA HISTORIA DE SUS HERIDAS CAMBIA DE DIA EN DIA!


En esta entrevista el día 22 el padre dice que solo tiene unas heridas a sus piernas y quemaduras menores
 http://www.nbcnews.com/storyline/brussels-attacks/mormon-missionaries-utah-among-belgian-bombing-survivors-n543446

Es muy sospechoso que este video muestra que su familia aparentemente espero a que llegaran las cámaras de televisión antes de llamar a su hijo para ver como estaba!
 
Según su conversación en esa llamada, solo tiene heridas en una parte de su cara al lado derecho cerca de su oído.
 


Curiosamente un día después TAMBIEN ESTAN LAS CAMARAS esta vez de CNN en el momento que entra su familia a su habitación del hospital.  Y en vez de tener solo parte de la cara herida, su cara entera incluyendo su cabeza esta cubierta.
 
Artículo tomado de
------------

1 comentario:

  1. AnonimoTrotskista13 de mayo de 2016, 3:16

    Até que enfim que alguém põe as coisas como elas são. Eu postei sobre esta história estranha, que me saltava aos olhos ser obviamente intrigante. Um jovem de 19 anos sobreviver a três ataques terroristas é ilógico, é no mínimo intrigante a coincidência de estar em três ataques em lugares distintos.
    Os mórmons (ele é um pregador mórmon) são desde há muito apoiados pela CIA, não só para lavar cérebros, como para entrar em países fechados. Os "missionários" cristãos são outro exemplo, assim como a cientologia, uma seita perigosa, criada por um ex-agente da CIA, cujas táticas de lavagem cerebral e perseguição a dissidentes é digna dos serviços secretos mais especializados. Não é por acaso que a Grécia, França a querem expulsar e a Rússia pensa o mesmo.
    Esta história deste jovem não faz sentido. Lembremos que a tática para induzir veracidade nas pessoas é logo de imediato surgirem entrevistas com “sobreviventes” de qualquer catástrofe do império ou qualquer acontecimento que urge manipular. Lembremos o célebre testemunho de uma kwaitiana que descrevia a história escabrosa de bebés kwaitianos assassinados por soldados iraquianos, ainda no berçário. Esta “médica” provou ser a filha do embaixador do Bahrein, e não uma médica iraquiana, ela inventou a história!!! Ou as célebres imagens de “palestinianos” a celebrar o 11 de setembro, quando na verdade eram imagens de 1991 de gente a celebrar a guerra do Golfo!!!! Como é possível ninguém ter verificado a história? Ou as inúmeras incongruências que rodeiam o 11 de Setembro?
    Este jovem é um espião da CIA, que estava próximo do local, preparado para quando o atentado ocorresse, aparecer e “testemunhar” a narrativa programada, assim poucos teriam interesse em descobrir a verdade. Hoje a lógica da propaganda consiste não em ocultar, mas em bombardear com uma narrativa “plausível”, feita logo no imediato, para inculcar ideias e desencorajar uma investigação séria. Obrigado por postarem isto, sinto-me mais perto do mundo “normal” onde a verdade impere e não nos tentam impingir patranhas ridículas como esta.

    ResponderEliminar