jueves, 17 de agosto de 2017

Vladimir Lenin sobre la construcción del partido revolucionario y la militancia



Tomado de https://twitter.com/Citasdelogicad1

------

1 comentario:

  1. O site socialista Socialist World Web Site expôs que o Google censurou vários sites socialistas nos últimos meses, nomeadamente os mais lidos na internet. Ao impedir que se acedesse pelo Google a esses sites e a manipular as pesquisas, afastando os principais sites comunistas da leitura nas primeiras páginas da pesquisa, a Google fez decair em 45% o tráfego desses sites!!!

    Retirado de: http://www.globalresearch.ca/googles-new-search-protocol-is-restricting-access-to-13-leading-socialist-progressive-and-anti-war-web-sites/5604403

    Mais um aborto vindo de Israel!!

    Acaba-se de aprovar uma ampliação e prolongamento da educação segregada por géneros, até ao ano de 2022!!!
    Em nome da “tradição judia ortodoxa”, vai-se impedir sobretudo professoras universitárias de exercer a sua profissão, pois não poderão ensinar homens e nem professores ensinar mulheres. Isto é algo digno da Idade Média, um bom exemplo da forma lenta como o fascismo alastra, em nome da “diversidade de opiniões”, das “tradições culturais” e de “não ferir as susceptibilidades de ninguém”. O mesmo se passa na Europa neste momento e continuará a alastrar se nada se fizer!
    Lá se vai o estado laico, a igualdade de género, os valores socialistas, tudo em nome do criminoso politicamente correcto, da “defesa das tradições”. Penso que alguns só se darão conta quando na Europa, algum nazi recordar que a “cultura europeia” até ao século XIX, antes da emergência do marxismo, segregava os géneros, inferiorizava as mulheres, impedia o voto universal e direitos como saúde universal, educação universal eram ridicularizados. Foi o marxismo que levou a que houvesse igualdade de género, a saúde e educação universal e os direitos sociais que elevaram o nível de vida na Europa para as classes operárias. Tudo isto está a ser destruído, com a cumplicidade da “esquerda” pós-moderna, a dos Syrizas, Podemos, com o seu ridículo politicamente correcto, que mais não é que a ideologia liberticida pequeno-burguesa de desmantelamento dos direitos sociais, políticos, económicos, que os europeus conseguiram com o martírio de milhões de europeus na Comuna de Paris, nas lutas operárias do século XIX. Quando na Europa se processar movimentos de “retorno às tradições europeias” e mandarem tirar o voto às mulheres, impedir a educação e o trabalho feminino e restaurar a Inquisição, aí é que as pessoas verão. Por agora, como se tratam de outros fascismos que não o europeu, de fascismos ocultos pela máscara da “tradição” e das “especificidades culturais”, tudo se tolera. E ainda tenta o estado de Israel vir dar lições de moral aos outros países, como a Síria, onde se vê o reverso da situação, o avanço para um estado laico e com igualdade de género!!!

    Retirado de: https://mundo.sputniknews.com/cultura/201708171071644283-israel-sexismo-universidad/

    ResponderEliminar